13
escrito por The Earth 7lk

A economia Asteca foi um exemplo de uma economia pré-capitalista. Diversos tipos de moeda eram usados, como por exemplo, porções pequenas de sementes de cacau, que eram importadas de outras localizações no México. A base da economia asteca era a lavoura, uma agricultura regida pelas divindades. O deus do milho – Centeotl, Tlaloc – o deus da chuva e da fertilidade, eram os principais deuses cultuados.

A cerimônia da colheita era a mais importante entre os Astecas. O propósito do ritual era a de obter uma boa safra, através de favores retribuídos pelos deuses. Para o deus Huitzilopochtli, eram feitos sacrifícios com sangue e corações humanos. Assim, o deus garantia o nascer do Sol toda manhã. Todos os deuses possuíam cerimônias e orações à parte, que eram realizadas de tempos em tempos, durante o ano todo.

Quando os exércitos marchavam para a guerra, além de conquistar terras e poder, eles queriam também prisioneiros para sacrificar em prol de suas lavouras. Esse tipo de sacrifício era tido como um dos mais importantes para os Astecas. Outros sacrifícios em prol do bem-estar da lavoura eram realizados com crianças.

O cultivo e o transporte

O milho era a mais importante lavoura Asteca, mas os “fazendeiros” também cultivavam feijão, abóbora, abacate, tabaco e cânhamo. Cultivavam o solo com pás de madeira, pois não possuíam arados, animais de carga ou ferramentas de ferro. Apesar da perceptível precariedade, os Astecas conseguiam produzir comida não somente para a própria subsistência, mas também para os governantes e outras classes da cidade.

Parte desse sucesso na lavoura veio com a habilidade que eles possuíam em cultivar em terras quase totalmente circundadas de água dos lagos – chamadas chinampas. Os Astecas faziam com que as raízes das árvores e plantas estivessem sempre em contato também com a água, deixando-as ricas em nutrientes. Essa técnica também influenciava as outras plantas que estavam perto dali, deixando-as férteis e saudáveis. “Jardins flutuantes” foi o nome dado a esse conceito dos astecas no cultivo. Alguns desses “jardins” ainda existem no México, como podemos observar abaixo:

Chinampas

Como os únicos animais que os Astecas domesticavam eram cachorros e perus, não havendo animais de carga ou veículos acoplados a eles, as pessoas carregavam a maioria da safra com uma correia que eles amarravam em suas costas e penduravam em suas testas. Outro transporte que era bastante utilizado eram as canoas.

Transporte em Canoas

As estradas Astecas foram projetadas para uma viagem a pé. Normalmente essas estradas eram mantidas com tributos e os viajantes tinham lugares para descansar ou comer a cada 10 ou 15 km.

O Comércio

O comércio era extremamente importante para os Astecas e sua influência foi espalhada através das guerras. Os comerciantes oficiais eram pessoas respeitáveis que também agiam como espiões. A entrada de materiais em Tenochtitlán e em suas cidades próximas, de partes mais distantes do império, foi sendo cada vez mais constante, tribos conquistadas tiveram que pagar um tributo anual de bens: borracha, penas e cacau das baixas regiões de terra de México, e ouro e pedras preciosas do Sul. Com isso Tenochtitlán e cidades próximas foram se tornando cada vez mais poderosas, e em suas dependências foram-se criando mercados de tamanhos espantosos para a época.

“O mercado central de Tlatelolco, a cidade de irmã de Tenochtitlán, era visitado diariamente por 60.000 pessoas. Alguns vendedores nos mercados eram vendedores insignificantes, fazendeiros poderiam vender algum produto, os oleiros vendiam recipientes e assim por diante. Outros vendedores eram comerciantes profissionais que viajavam de mercado em mercado para comercializar buscando lucros”.Hernán Cortés, conquistador do Império Asteca – 1519-1521.

Mercado Asteca

Nos mercados Astecas, um coelho pequeno valia 30 sementes de cacau, um ovo de peru valia 3 sementes e uma “pamonha” valia uma única semente. Para compras maiores, eram usados panos de algodão, chamados quachtli. Havia graus diferentes de quachtli que variavam entorno de 65 a 300 sementes de cacau. Uma fonte declarou que 20 quachtlis pudessem sustentar um cidadão, em Tenochtitlán, durante um ano. Um homem também poderia vender sua própria filha, por um valor que girava entorno de 500 a 700 sementes, como uma escrava sexual ou para ser sacrificada em um ritual religioso. Uma estátua de ouro pequena (de aproximadamente 0.62 kg / 1.37 libras) valia 250 sementes de cacau.

Cidades menores possuíam mercados de cinco em cinco dias aproximadamente, enquanto nas grandes cidades os mercados eram diários.

Os pochtecas foram um exemplo de grandes comerciantes especializados, fazendo longas expedições a todas as partes da Mesoamérica e foram considerados como um tipo de “supervisores” dos mercados, inclusive do mercado de Tlatelolco.

Como já foi dito antes, embora a economia dos Astecas fosse baseada no comércio, eles não foram uma economia capitalista, pois as terras e a prestação de serviços não eram comercializadas.

Por The Earth

Acabou a leitura? Talvez você se interesse por isso:

13 Comentários para 'Astecas: Economia e Agricultura':
  1. roberto disse:

    muito egal voces informaram tudo bem direito

  2. The Earth disse:

    Roberto, agradecemos seu elogio! Nos esforçaremos cada dia mais na busca de proporcionar um material sempre de qualidade para você e nossos leitores! Obrigado e volte sempre.

  3. jaqueline disse:

    gostei muito deu de entender…só poderiam ter colocado mais um pouco sobre a economia…bjinhos

  4. Jaqueline disse:

    Gostaria de obter informações sobre algum DVD documentário dos astecas. Desde já parabenizo pelas informações, resumidas e elucidativas sobre essa nação maravilhosa!

    Abraços

  5. rafaela disse:

    eu adorei
    essa pesquisa

  6. AIII eu adorei

    pesquizar aqui oooo meu trabbballlhoo

  7. tatiany disse:

    foi muito interessante saber sobre os astecas aprendi mais sobre eles muito legal!!!!

  8. legal disse:

    legal! parabens! valeu a dedicação!
    abs

  9. thais disse:

    eu amei esse site pq é muito interessante para estudos de história.eu amei meus parabens

  10. clenia lais disse:

    adorei a pesquisa me ajudou bastante

  11. fabiele disse:

    muito legal

  12. vanessa disse:

    muito bom esse site,pena q é muito comprido e,eu to com preguiça de copiar!!

Deixe seu comentário

*