13
escrito por The Earth 7lk

La Noche Triste

Cortés chegou em Tenochtitlán aproximadamente em 8 de Novembro de 1519, quando foi recebido por Moctezuma II juntamente com os nobres da cidade. Dizem que no encontro dos dois, Cortés tentou abraçar o imperador asteca, mas foi impedido por Cacamatzin – senhor de Iztapalapa; Moctezuma II era intocável. Trocaram oferendas e logo após Hernán Cortés foi hospedado no palácio de Axayácatl, no centro de Tenochtitlán.

Ficando em Tenochtitlán, os espanhóis decidiram que já era hora de se construir sua própria capela. Queriam construir no Templo de Huitzilopochtli, o que não foi permitido por Moctezuma II. Resolveram então levantar em seu próprio aposento, conforme permissão do imperador. Foi quando um carpinteiro espanhol percebeu uma porta secreta, que, de acordo com sussurros, era o local onde Moctezuma II havia depositado os tesouros de seu pai, Axayácatl. Entraram e foram surpreendidos por um grande tesouro. Cortés ordenou que fechassem a porta novamente. Estava marcado ali o seqüestro do imperador.

A morte de sete espanhóis, dentre eles o capitão Juan de Escalante, em uma cidade totonaca, foi o motivo alegado pelos espanhóis para efetuar a prisão de Moctezuma II. Levaram-no para o palácio Axayácatl, o qual Cortés tinha transformado em seu quartel. Os moradores de Tenochtitlán, ao verem Moctezuma II prisioneiro se rebelaram contra os espanhóis e exigiram que esses fossem expulsos da cidade. Foi então que Cortés pediu a Moctezuma II que trouxesse o cacique Cuauhpopoca, que na visão de Hernán causara a morte dos espanhóis citados anteriormente.

Quando Cortés ausentou-se de Tenochtitlán para enfrentar a expedição de Pánfilo de Narváez, seu substituto ficou sendo Pedro de Alvarado, que possuía em seu poder oitenta soldados para resguardar o prisioneiro Moctezuma II. O imperador preso era muito importante para os espanhóis, já que ele ainda acreditava que os espanhóis eram enviados divinos e diziam para os moradores da cidade que não deveriam se opor a sua vontade, que era a de que os espanhóis permanecessem vivos (muitos duvidam desse pensamento de Moctezuma II sobre os espanhóis).

A situação dos espanhóis era extremamente delicada, eles sabiam que eram pouquíssimos homens para lidar com a enormidade de astecas. Com as notícias (falsas ou não) que circulavam, enviadas pelos tlaxcaltecas e totonacas (aliados dos espanhóis), sobre a hostilidade dos moradores de Tenochtitlán, a ordem do capitão espanhol foi a de atacar primeiro.
Não está documentado, mas acredita-se de que o ataque espanhol se deu em um ritual asteca no Templo Maior, onde a grande maioria dos participantes estava desarmada. A ordem do capitão era a de matar e/ou aprisionar os senhores astecas de grande influência, o que funcionou. Com a ajuda de índios aliados, os espanhóis promoveram um massacre que não distinguiu crianças e mulheres de homens. Todos foram mortos. O ódio asteca estava de vez aceso.

Hernán Cortés então retornou e tentou acalmar os ânimos dos astecas, levando Moctezuma II ao povo, para que esse pudesse tranqüilizar a população. Na sua tentativa de falar com a população, Moctezuma II foi observado com horror, já que ele ainda continuava a dar apoio aos espanhóis. Provocou um enorme alvoroço e foi atingido por pedras e flechas, o que causou sua morte logo depois. (Muitos não acreditam nessa versão, pois dizem que os espanhóis, ao verem a grande oportunidade de conquistar Tenochtitlán, mataram o imperador asteca). Hernán Cortés então viu a oportunidade perfeita para sua última grande missão: a conquista de Tenochtitlán.

Segundo a versão asteca, todos os nobres astecas que se encontravam prisioneiros dos espanhóis foram executados, pois deixaram de ser úteis.

Cuitláhuac foi o sucessor de Moctezuma II e ficou sendo o responsável por fortalecer alianças e juntar tropas para a expulsão dos espanhóis. Porém morreria mais tarde, vítima de varíola.

A batalha entre espanhóis e astecas já durava uma semana e os peregrinos estavam cercados no palácio de Axayácatl, até que, esgotado, Hernán Cortés planejou uma fuga da cidade na calada da noite do dia 30 de Junho de 1520 (do calendário Juliano). Dado o sinal, os espanhóis, em silêncio, partiram. Ao chegarem no canal Tolteca Acaloco, uma mulher que havia saído para tomar água avistou os fugitivos e imediatamente comunicou para os guerreiros astecas. No bater de tambores, os espanhóis se viram cercados por incontáveis astecas enfurecidos, armados com lanças e flechas.

Os peregrinos tiveram que escolher entre suas vidas ou o ouro que carregavam do tesouro de Axayácatl. Conta a história que 90% desse tesouro foi perdido pelos espanhóis, sendo que seiscentos foram mortos (correspondendo a aproximadamente metade da tropa de hernán Cortés) e os índios que os apoiavam foram massacrados. De mil tlaxcaltecas (aliados dos peregrinos), apenas cem não morreram em Tenochtitlán.

A maior ajuda dos espanhóis veio de seus cavalos, que foram utilizados para a fuga da cidade. Cortés, Alvarado, Martín de Gamboa, dentre outros foram sobreviventes desse episódio que ficou conhecido por ser um dos mais cruéis para os peregrinos em terras mexicanas.

Tenochtitlán ainda sobreviveria por aproximadamente um ano. Com a ajuda de milhares de índios rivais da grande capital asteca, e pela morte da maioria da população de Tenochtitlán por doenças, os espanhóis finalmente teriam o controle de uma das maiores cidades existentes da época.

Por The Earth

Acabou a leitura? Talvez você se interesse por isso:

3 Trackbacks/Pingbacks:
  1. Trackback: SHAWN em 15/07/2010;
  2. Trackback: stylist em 30/08/2010;
  3. Trackback: Parts em 15/09/2010;
10 Comentários para 'La Noche Triste':
  1. Luiz Felippe disse:

    Ignorantes!

  2. Edna Botelho disse:

    Vocês deveriam selecionar melhor o conteúdo que exibem, ou quem sabe ler a obra de Todorov.

  3. Rodrigo disse:

    Ignorante é você luiz felipe, o artigo é muito bom, já conhecia a história

  4. 172 disse:

    parece brincadeira de mau gosto chamar os conquistadores espanhóis de peregrinos.

  5. paulo disse:

    na boa, todo mundo sabe que os astecas nao iriam morrer tao facil assim

  6. Triah Cullen *-* disse:

    Olha,naão entendi muito bem,por favor porcurem explicar melhor.
    AMEEEI o resto do site,naão se preocupem.Venho ler os toópicos sempre. rsrsrsrs*

  7. gòmez disse:

    os espanhois fizeram bem a matar esses maias filhos da puta

  8. Lucy disse:

    Por favor, Qual eh a origen do Homem

  9. david disse:

    A condição existencial do homen é a dominação, se dessa ou de outra forma é narrada a carnificina européia sobre as américas, indifere, pois sabemos que o homem é cruel, ambicioso, …etc.
    Incas, Mayas, Aztecas, Tupis, Guaranis, …enfim.
    Eu Sugiro a todos que pensassemos em uma revolução, em todos os sentidos, porque como as civilizações antigas nós somos a maioria, podemos vencer. Mas a nossa luta não é apenas com os inimigos externos, mas principalmente contra nós mesmos os animais mais crueis e arrogantes do mundo!

  10. francisco de assis disse:

    o mal do homem é o fanatismo religioso aliádo à ganancia inexcrupulosa das elites dominantes, graças a ignorancia do gentio!..so evoluiremos quando descobrir-mos que a ética e o respeito às leis naturais da nossa querida pacha mama for usada como principio basico de nossa existencia!

  11. SHAWN disse:


    Pillspot.org. Canadian Health&Care.Best quality drugs.Special Internet Prices.No prescription online pharmacy. No prescription drugs. Buy pills online

    Buy:Mega Hoodia.Valtrex.Lumigan.Accutane.Petcam (Metacam) Oral Suspension.Prednisolone.Zovirax.Zyban.Human Growth Hormone.Retin-A.Arimidex.Nexium.Actos.Prevacid.Synthroid.100% Pure Okinawan Coral Calcium….

  12. Parts disse:

    Cobalt http://rj8.yrl.o11.co : Performance…

    Cobalt…

Deixe seu comentário

*