20
escrito por The Earth 7lk

Assim como outros povos vizinhos da Mesoamérica, os Astecas possuíam uma forma de contar os dias. Semelhante ao calendário maia, que possuía dois sistemas de contagem que se interagiam, o calendário Asteca regia de forma parecida relativa a ordem dos dias.

Os dois calendários Astecas foram: Tonalpohualli – que assemelha-se com o Tzolkin, e o Xiuhpohualli, que seria uma espécie de Haab (ou vice-versa).

Tonalpohualli

O Tonalpohualli, que na língua nativa Asteca significava ‘contagem dos dias’, é um calendário de 260 dias, que corresponde a um determinado período (geralmente seria um ano), e que foi usado por muitos povos da mesoamérica, com destaque para os Astecas. Esse calendário não é solar e nem lunar, mas sim composto de 20 trezenas (ou um período de treze dias). Cada trezena era dedicada a uma divindade e essa divindade era responsável por aquele período.

Tonalpohualli

A origem do Tonalpohualli é desconhecida devido a incertezas de datas e dados que cercam as culturas mesoamericanas. Existem inúmeras teorias acerca desse calendário: de que ele representa o ciclo de Vênus; de que representa a origem, o desenvolvimento e o fim da raça humana; e até mesmo a quantidade de dias em que o Sol está em seu ponto máximo, iluminando as planícies tropicais (que seria os dias entre: 12 / 13 de Agosto e 30 de Abril / 01 de Maio). Outros estudiosos dizem que o Tonalpohualli não é baseado em fenômenos naturais, mas sim apenas nos números 20 e 13, que eram números importantes na Mesoamérica.

O Significado dos Dias (Em ordem de contagem):

- Cipactli – Caiman (ou “Monstro Submarino” – crocodilo)
Ehecatl – Vento
Calli – Casa
Cuetzpalin – Lagarto
Coatl – Cobra
Miquiztli – Morte
Mazatl – Cervo
Tochtli – Coelho
Atl– Água
Itzcuintli – Cachorro
Ozomahtli – Macaco
Malinalli – Grama (Capim)
Acatl – Bambu
Ocelotl – Jaguar
Cuauhtli – Águia
Cozcacuauhtli – Falcão
Ollin – Terremoto (ou Movimento)
Tecpatl – Faca
Quiahuitl – Tempestade (Chuva)
Xochitl – Flor

A melhor maneira de entender o funcionamento do Tonalpohualli é imaginar duas engrenagens que se conectam. Uma gira com os símbolos dos dias (que são vinte) e a outra gira com os números (que são treze). Na primeira roda, o primeiro dia é de Cipactli (Caiman – crocodilo), sendo que o primeiro número da outra roda é 1. Senso assim, a primeira data do calendário é 1 Caiman. Conforme a roda gira, diferentes símbolos dos dias e números são alinhados. Por exemplo, o segundo dia seria 2 Ehecatl (ou Dois Vento – traduzido do Nahuatl), o terceiro 3 Calli (Três Casa – traduzido do Nahuatl) e assim por diante. Essa combinação continua até o décimo terceiro dia – Acatl, que significa Bambu ou outra planta ou junco semelhante, encontrar o décimo terceiro número. Quando o 13 Bambu acontece, os números chegam ao final e voltam a contagem inicial, o 1. Entretanto, os dias não terminaram, sendo que o próximo símbolo representativo seria o Ocelotl – o Jaguar. Como resultado, o próximo dia, sucessor ao 13 Bambu seria o 1 Jaguar, correspondendo ao décimo quarto dia do calendário. Interessante, não? Esse processo se repetiria até que todas as combinações fossem realizadas, ou seja, terminaria em um tempo de 260 dias, voltando ao retorno, ao 1 Caiman.

Calendário Asteca

Cada significado de dia, em particular, é regido por um deus e cada número também é regido por algum outro deus. O regente dos números (deus relacionado ao número do dia), é conhecido também como o Senhor do Dia. Em contrapartida, existem nove Senhores da Noite, que regem as horas escuras desses dias. Completando o simbolismo, treze pássaros representam os ciclos dos dias. Ao final dessa combinação temos um resultado do que o dia atual representa, no que ele é promissor e no que ele é desfavorável.

Um exemplo: O dia 4 Bambu
Tezcatlipoca rege o dia Bambu. Tonatiuh é o deus relacionado ao número 4 (portanto ele é o Senhor do Dia). O quarto pássaro do dia é a quail (codorna) e Centeotl é o Senhor da Noite.

Com essas combinações, um padre poderia, por exemplo, medir essas quatro influências no dia, deduzindo assim sua natureza.

Xiuhpohualli

O Xiuhpohualli (conhecido também como ‘A Pedra do Sol‘), que também foi um calendário adotado pelos Astecas, como já foi dito anteriormente, era composto por 365 dias. Foi utilizado também por civilizações anteriores, no Pré-Clássico.

Xiuhpohualli

Interligado com o Tonalpohualli, para formar o “Calendário Circular” (com ciclos de 52 anos) e chamado por alguns estudiosos de “Ano Vago”, é considerado o calendário solar Asteca.

Foi dividido em dezoito meses (ou períodos) de vinte dias cada, chamados Vintenas, e acrescentado de cinco dias em seu final, dedicados a extrema meditação. Os anos Astecas eram nomeados de acordo com o nome do último dia do décimo oitavo mês de acordo com o ducentésimo sexagésimo dia do calendário Tonalpohualli. A cada ciclo que esses calendários completavam juntos (cada ciclo era considerado como sendo quatro períodos de treze anos, onde atingiam a mesma data), era realizada uma cerimônia chamada “Cerimônia do Novo Fogo”.

O calendário Xiuhpohualli tinha uma importante ligação com as práticas agrícolas dos Astecas e obtinha um importante papel na religião também, onde cada “mês” possuía seus festivais religiosos.

Os “meses” (que eram Vintenas) do calendário solar Asteca eram chamados (em seqüência):
1. Izcalli
2. Atlcahualo ou Xilomanaliztli
3. Tlacaxipehualiztli
4. Tozoztontli
5. Hueytozoztli
6. Toxcatl ou Tepopochtli
7. Etzalcualiztli
8. Tecuilhuitontli
9. Hueytecuilhuitl
10. Tlaxochimaco ou Miccailhuitontli
11. Xocotlhuetzi ou Hueymiccailhuitl
12. Ochpaniztli
13. Teotleco ou Pachtontli
14. Tepeilhiuitl ou Hueypachtli
15. Quecholli
16. Panquetzaliztli
17. Atemoztli
18. Tititl

As direções

Apesar do Tonalpohualli e do Xiuhpohualli correrem separadamente, os anos solares determinam o nome da data no calendário Tonalpohualli em que o primeiro dia do ano cairá. Para essas datas, existem apenas quatro significados: Casa – Ano para o Oeste, Coelho – Ano para o Sul, Bambu – Ano para o Leste e Faca – Ano para o Norte.

Por The Earth

Acabou a leitura? Talvez você se interesse por isso:

20 Comentários para 'O Calendário Asteca':
  1. René disse:

    Segundo recentes pesquisas, o calendário Maia e o Asteca representam um único sistema de contagem do tempo. A única diferencia se resume aos nomes dados aos desenhos do calendário. O mais importante da descoberta, reside em que o sistema não contabiliza somente 365 dias e sim, 4 (quatro voltas da Terra ao redor do Sol e não somente uma como se pensava.
    Dessa forma, tanto o Tzolkín Maia como o Tonalpohualli Asteca com seus 260 dias não existem assim como foi definido até agora.
    O Haab do calendário Maia e o Xiuhpohualli Asteca são semelhantes e registram sem interrupção 1.461 dias, porém com a mesma configuração e não como atualmente são conhecidos registrando 365 dias.
    No livro “A Verdadeira América” podemos conferir essa descoberta de um pesquisador brasileiro publicada pela http://www.papelvirtual.com.br na seção acadêmica de história.
    Finalmente, poderemos decifrar os hieroglíficos, os códices e os documentos remanescentes da civilização mesoamericana.
    O trabalho inédito está sendo discutido pela UNAM, Universidade Nacional de México e várias universidades norte-americanas.

  2. The Earth 7lk disse:

    René, muito obrigado pela sua cooperação! Com certeza esse livro será de grande valia para nós e os estudiosos que visitam nosso site.
    Se por acaso um dia você quiser fazer uma sinopse bem detalhada e nos enviar, será um prazer colocá-lo como destaque em nosso site. Para mais informações envie um e-mail para contato@doismiledoze.com .
    Um abraço.

  3. walkir disse:

    gostei do assunto a 34 anos atras meu pai ja falava sobre este assunto e eu levav na sacanagem

    agora foi descioberto cientificamente

    soube tambem que um asteroide esta se deslocando rapidamente em nossa direção e provavelmente sera tambem neste data

  4. Alexandre disse:

    Gostaria de uma foto bem nítida do simbolo Asteca pois vou fazer uma tatoo e precisaria de uma definição dos detalhes deste simbolo.Obrigado!!

  5. Gilmar disse:

    O que achei muito interessante no calendário Maia,no meu pouco entendimento deste;que seu símbolos alinhados na sequência de três e sempre apontando para o Norte,se dava dentro do seu raio toda as demais situações climáticas; como se fossem um relógio no tempo deles e sabiam exatamente onde plantar,onde pescar,onde colher etc,é isso mesmo???
    Isto realmente é muito interessante.
    Somente acho que acreditar que sempre aplicando esta teoria,mesmo usando outros corpos celestes como sol,lua,vênus e outros fatores,definindo estes parâmetros padrão repetitivo a mais de 5000,mantendo uma teoria que
    tudo se repetiria sempre,não estaríamos novamente na teoria de Eisntein???
    Pois afirmar que o Universo se comportara desta forma, custou muito caro ao nosso grande gênio,espero que pouco ou muito que estas grandes descobertas nos trouxeram até aqui,não culpemos também os Maias casa nada aconteça em 2012 ou nos próximos anos que virão.

  6. Ray Olympio disse:

    Cara os comentários de vc estão erradas pois os astecas tinham o calendário solar e vc dizem q naum!!!

  7. maria arlete ortiz disse:

    Vi o documentario sobre as sete professias maia, e muito interessante o assunto e tudo que envolve essa civilizaçao,

  8. Bruna disse:

    eu ñ entendi nada !!!!!!!!rsrsrsrsrsrsrsrs

  9. quiero saber mas sobre este misterio.

  10. num interessa disse:

    hauhsuhushuHAUAHSUHSUAHSUAHSUH

  11. anderson disse:

    Nossa é tão facinante
    a historia do calendario e o fim de tudo em 2012…
    tenho medo
    mas prefiro não pensar mais nisso
    muito Obrigado

  12. Bia disse:

    idem (y)

  13. Umberto Polli disse:

    Depois que o ano de 2012 transcorrer sem apocalipse algum qual será a nova data para o fim do mundo que os senhores escolherão? Posso saber antecipado? aposto que vão colocar os anos 2028 a 2030 quando de fato um cometa se aproximará da terra. KKKKKKKKK

  14. rafaella disse:

    queiro saber sobre o calendario asteca

  15. beathriz disse:

    e muito grande ne?

  16. alessandro disse:

    noiss vamosss morrerr
    pq a terra entrara no periodooo das trevass
    fudidosss

  17. thatianeh disse:

    eu não entendi porcaria nenhuma!!!!!!!!!!merda

  18. Felipe disse:

    Nossa!Finalmente uma boa explicação sobre o calendario Asteca ein!Comprei um livro aluguei três livros e pesquisei na internet feito um loco (:o
    Finalmente posso acabar meu trabalho de escola!
    EEEEEEEEEE…!
    Viva a The Earthi
    EEEEEEEEEEEEE…!
    E a 2012
    EEEEEEEEEEEEE[...]ein!Quando!!2012!!!
    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA…!!!!

  19. hyyyyyyhrds disse:

    ^^

  20. Ivan disse:

    Desde o início dos tempos e em todos os locais do planeta terra, DEUS falou aos homem através daqueles que nos foram enviados para ensinar. Vasculhem as culturas e as religiões e em todos os locais irão encontrar mensagens de que em suma,1000 anos se passarão e 2000 anos não.
    Mas o que passará e o que não passará? De qual tipo será esse fim e o que será destruído?
    O ser humano, imerso no que se pode tocar e saturado de medos, como o da morte por exemplo, suspeita sempre da destruição de nosso planeta e de sí mesmo.
    Mas e se a destruição prevista for exatamente a eliminação de todo o medo do ser humano e da sua ignorancia em relação às leis do universo, a reformulação da sociedade humana em algo melhor do que ela é hoje.
    Para que a nova era chegue, os velhos tempos e costumes precisam ser destruídos, é a essencia da transformação.
    Fiquem atentos aos seus filhos e vejam o quanto eles são melhores que vocês, ou vocês filhos, o quanto são melhores do que seus pais!
    A destruíção da era da ignorancia e do medo aqui na Terra já começou. Já vivemos no terceiro milênio após a vinda de Jesus.
    A mudança será sutil e natural através de cada nova alma que nasce nesse planeta daqui em diante, elevando a Terra para um novo patamar de desenvolvimento tecnológico e moral.
    Jesus não veio para nos ensinar para que a terra fosse destruída 2000 anos após a sua vinda, ele veio nos preparar para que conseguissemos muda-la em 2000 anos usando seus ensinamentos, destruindo o ciclo de egoísmo e vingança através dos tempos.
    A atual interdependência das nações, não suporta mais guerras; o crescimento dos países tende cada vez mais para o equilíbrio; as catastrofes climáticas, nos colocam todos na mesma condição independentemente em qual país moramos, ou nos ajudamos ou sofreremos juntos; o conhecimento circula livrimente pela internet para todos que o querem buscar.
    Abram seus olhos meus irmãos, as mudanças já começaram e estamos tendo o privilégio de presenciarmos de camarote a virada da maré da história do planeta Terra. Na virada da sorte nós e nossos filhos seremos os consolidadores desta mudança!
    Fiquem com Deus! Construamos a paz promovendo o bem!
    Aconselho a leitura de Gênesis de Allan Kardec.

Deixe seu comentário

*