1
escrito por The Earth 7lk

O Codex Mendoza (ou “Códice Mendoza”) é um código Asteca, criado aproximadamente vinte anos após a conquista do México pelos espanhóis com o intuito de que o mesmo fosse visto por Charles V, o Imperador Papal e Rei da Espanha. Contém as histórias dos governadores (ou imperadores, como preferir) Astecas e suas conquistas, uma lista com todos os tributos pagos pelos povos dominados e a descrição do cotidiano Asteca, feita em {pt:pictograma} com comentários e explicações espanhóis. Veja a capa abaixo:

Condex Mendoza

O código possui esse nome devido ao homem que autorizou a sua confecção, o então vice-rei da Nova Espanha, Antonio de Mendoza. Pode ser chamado de Codex Mendocino (ou “Código Mendocino”) e de La Coleccion Mendoza (ou “A Coleção de Mendoza”).

A história do código

O Código Mendoza foi criado ás pressas na Cidade do México, para ser enviado de navio para a Espanha. No entanto, a frota de navios espanhola foi atacada por piratas franceses e o código foi levado juntamente com o restante dos saques para a França. Lá ele ficou na posse do cosmógrafo André Thevet, o rei francês Henry II, que escreveu seu nome em cinco partes do código, sendo duas datando 1553 d.C.. Depois disso o código foi comprado pelo inglês Richard Hakluyt pelo valor de 20 Coroas Francesas. Algum tempo depois de 1616 d.C., o código foi passado a Samuel Purchase, e para o filho dele, chegando até John Selden. O código finalmente foi alojado na Biblioteca Bodleian que fica na Universidade de Oxford, em 1659 d.C., cinco anos depois da morte de Selden. E o código ficou ali na escuridão até 1831 d.C., onde foi redescoberto pelo Visconde Kingsborough.

O conteúdo

Escrito em papel europeu, o código possuia 71 páginas, dividido em três seções:

Seção 1: dezesseis páginas, que detalhavam a história do povo Asteca de 1325 d.C. até 1521 d.C. – desde a descoberta de Tenochtitlán até a conquista espanhola. Lista os impérios de cada conquistador e as cidades dominadas pelo mesmo.

Seção 2: com trinta e nove páginas, essa parte do código fornece informações sobre as cidades conquistadas pela Tríplice Aliança Asteca e os tributos pagos por cada uma delas.

Seção 3: essa parte do código contém, em pictoramas, o dia-a-dia da vida dos Astecas.

Por The Earth

Acabou a leitura? Talvez você se interesse por isso:

1 Comentário para 'O Códice Mendoza':
  1. hugo disse:

    mas como era o cotidiano dos astecas?como eram feitos os trabalhos coletivos para a construções dos grandes monumentos,como as piramides por exemplo?o serviço militar era obrigatório para os astecas?havia alguma outra medida de valor monetário além das sementes de cacau?

Deixe seu comentário

*